Início > Entretenimento > Terezinhaaa!!!

Terezinhaaa!!!

28 setembro 2009


1 Comentário »

Ministério da Justiça veta “Chacrinha” a menores de 14 anos

Em
despacho publicado hoje no “Diário Oficial da União”, o Ministério da
Justiça manteve a proibição do filme “Alô, Alô, Terezinha!” para
menores de 14 anos.

Isso permite concluir que, nos dias atuais, os programas de Abelardo
Barbosa, o Chacrinha (1917-1988), não poderiam passar na TV antes das
21h. Nos anos 1980, ainda sob a ditadura militar, a Globo transmitia o
“Cassino do Chacrinha” nas tardes de sábados.

Chacrinha é um dos maiores nomes da TV brasileira de todos os
tempos. Era anárquico, irreverente, distribuía abacaxis para calouros e
oferecia bacalhau ao auditório. Seus shows lançaram nomes como Roberto
Carlos e Raul Seixas. São dele as frases “Na televisão, nada se cria,
tudo se copia” e “Quem não comunica se trumbica”.

A distribuidora de “Alô, Alô, Terezinha!” queria liberá-lo nos
cinemas para maiores de 12 anos, mas o ministério não concordou, porque
a obra possui “nudez e linguagem de conteúdo sexual”.

Dirigido pelo jornalista Nelson Hoineff, “Alô, Alô, Terezinha!”
celebra a trajetória do Velho Guerreiro e reconstitui seu universo em
depoimentos de artistas, calouros e ex-chacretes. O filme será
projetado nesta quarta (30) no Festival do Rio. Estreia em circuito de
cinema em 30 de outubro.

De nudez, o longa tem apenas imagens em que uma ex-chacrete, em
traje tribal, mostra os seios e o “derrière”. A linguagem sexual se
revela, por exemplo, na frase “Quem quer a calcinha da Fátima Boa
Viagem [uma chacrete]?”, dita pelo próprio Chacrinha.

Procurado pelo R7, o diretor Nelson Hoineff não protestou contra a
classificação indicativa de 14 anos, apesar de isso se traduzir em
menos espectadores para seu filme. “Hoje é só classificação. Antes era
censura”, lembra.

Hoineff vai além da leitura de que o veto do filme para menores de
14 anos  inviabilizaria Chacrinha nas programações vespertinas atuais.
“Se fosse hoje, Chacrinha não passaria pela portaria de qualquer rede
de televisão. Ele seria barrado por um yuppie de 17 anos. Ele era
diferente, melhor, e a televisão sempre apostou na pasteurização.
Chacrinha era muito explícito e conseguiu o milagre de ficar na Globo.”

Categorias:Entretenimento
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: