Início > Português Maltratado > Títulos Ridículos

Títulos Ridículos

Enviado por Gustavo Leitão

3.2.2010

|

7h00m

Um tradutor do barulho

 

Gente
que titula filmes em português – quem serão?, sempre me pergunto –
sofre de alguns males. Um deles, inocente, é a fixação em expressões
como "do barulho", "muito louca" e "quase perfeita". Outra, usada muito
mais malandramente, é a mania de sugerir, com título, algo que um filme
não é. Em cartaz na cidade, "Amor sem escalas" é o
exemplo mais recente. Pelo singelo nome, parece uma comédia romântica
da Sandra Bullock passada num aeroporto, certo? Mas o filme com George
Clooney, "Up in the air" no original, fala muito mais
do desapego e da desesperança. Apesar de ter alcance de blockbuster,
não tem momentos bonitinhos, crianças sorridentes e amor pra toda vida.
A tradução faz parte da irritante técnica do título-pegadinha,
destinado a dar um levante na bilheteria e atrair incautos. Veja outros
exemplos "do barulho", lembrados com a colaboração preciosa de André
Miranda, Eduardo Fradkin e Rodrigo Fonseca:

 

1) "Direito de amar" – O homem solteiro do título ("A single man")
virou nome de novela da Globo de 1987. É pra parecer mais dramático? É
para atrair a dona de casa moralista para um filme que tem um gay no
papel central?

2) "Vingador do futuro" – Arnold Schwarzenegger tinha feito sucesso com "Exterminador do futuro" seis anos antes quando "Total recall"
(algo como "Recordação total"), também com ele no elenco, estreou. Os
tradutores tascaram "do futuro" para dar a impressão de que o filme de
Paul Verhoeven era uma espécie de continuação. Para piorar, não havia
vingador nenhum.

3) "Barrados no shopping" – O que "Mallrats"
(na tradução literal, "Ratos de shopping") e o seriado "Barrados no
baile", enorme sucesso dos anos 90, tinham em comum? A presença de
Shannen Doherty no elenco. No filme de Kevin Smith, de 1995, nenhum
segurança barrava ninguém em shopping algum. Mais um para o ranking do
caô.

4) "High school Band" – Mais um produto da franquia "High school music"? Nananão. "Bandslam"
(poderia facilmente ser adaptado para "Batalha das bandas") só tinha em
comum com o filme-fenômeno da Disney a presença de Vanessa Hudgens.
Coisa que o desavisado podia descobrir só depois de pagar (caro) pelo
ingresso.

5) "Candidato aloprado" – Com
enchimentos e perucas variadas, Robin Williams se fantasia de mil
personagens neste filme. Parece? Mas não é. "Man of the year", de Barry
Levinson, é uma comédia que satiriza a política americana. Williams não
é Eddie Murphy, assim como gato não é lebre.

6) "Sob o domínio do medo"
– O que pode haver em comum entre um thriller político de John
Frankenheimer e um estudo de sexualidade reprimida de Sam Peckinpah? Os
dois filmes estiveram "sob o domínio" de tradutores criativos. Lançado
quase uma década depois de "Sob o domínio do mal" ("The machurian
candidate", 1962), de Frankenheimer, "Straw dogs" (expressão que descreve a maldade praticada em bando), de 1971, mais confunde do que explica com seu título em português.

E a sua lista, tem o quê?

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: